16 outubro 2013

CorelDraw X6 - Como Criar um Cartão de Visita nos Padrões de Gráficas

16.10.13

Como Criar um Cartão de Visita Profissional


Você já parou pra pensar na importância de um bom cartão de visita?

Sabe como criar um cartão de visitas em CorelDraw e acima de tudo, sabe oque não deve colocar em seu cartão de visita antes de enviar para a gráfica?

Eu preparei uma aula exclusiva sobre como deixar seu cartão de visita no ponto de envio para a gráfica que, eu diria que vale uns R$ 3.000,00 (três mil Reais) mas, você a terá inteiramente grátis, além de dicas para não cair em algumas furadas comuns do setor.

Seu arquivo foi rejeitado?

Não sei se sabem, mas, muitos dos arquivos enviados para gráficas são recusados por conterem elementos e/ou cores inadequadas para uma boa impressão. Uma média de 1 pra 6.

Além dos problemas com versões, formatos de arquivos e tamanhos inapropriados, muitos outros fatores podem fazer com que seu arquivo jamais seja impresso corretamente.
Algumas gráficas possuem o (Burro de Carga), aquela pessoa que tem de resolver os problemas dos arquivos, sem cobrar nada do cliente por isso. Geralmente sobra para o Arte Finalista da vez.

Ele converte, ele adapta, ele resolve, ele é “o cara”!

Principalmente, em se tratando de Off-Set, não é assim tão simples criar um cartão de visita, achar que ele ficará exatamente como você o fez também é outro papo.

Você pode até achar que sim, mas, isso quem define é a gráfica ou “o cara” que, depois de uma analise verá o que de fato pode haver em seu arquivo.

Etapas devem ser seguidas:

Isso porque para a criação de um cartão de visita, sendo este para impressão em gráfica, é preciso antes de uma finalização. É este o trabalho de um arte finalista, ”o cara”, que pegará seu arquivos não finalizado ou em parte não finalizado e tentará prepará-lo para a impressão, tento do fotolito, quanto da saída final.

Nesta etapa começam a ser analisados pelo “cara” os possíveis erros da construção do Cartão de Vista ou outra arte qualquer. Os itens são revistos um a um, ou através de softwares especializados.

Só após esta etapa, a arte passa para a padronização, tamanho, organização, arquivamento e impressão. Mantendo sempre uma cópia original do arquivo do Cliente na mesma pasta, assim como os textos da conversação por e-mail, fotos e outros dados relevantes ou trabalho e extremamente necessários.

Desorganização:

Isso depende de gráfica para gráfica também.
Algumas, não tem nenhum tipo de organização, vão fazendo o que chega e quando chega. Em alguns casos, colocam trabalhos a frente de outros, ou deixam para a última hora. Isso quando não mentem para o cliente, dando-lhe desculpas das mais esfarrapadas possíveis.

Sei bem do que estou falando, já trabalhei em algumas assim! E sobrava na maioria das vezes para o impressor ou para o arte finalista, que está sempre com sua mesa lotada de trabalho ou com um cliente pendurado no pescoço ditando as regras para sua criação.

Sabe tipo co-piloto, Co-design? Dizendo“Ahh.. não poderia ser mais a direita, com outra cor, menor”. Isso é mais comum em gráficas rápidas, onde as pessoas “clientes” confundem com pizzaria e querem exatamente pra aquele momento, tudo a todo instante.

- Não sei como eles conseguem criar em ambientes assim. Sem uma sala separada da “Zona” de Clientes!

Bom mas voltando ao tema principal, o seu cartão de visita para ser lindo, perfeito e com uma boa impressão, depende de inúmeros fatores.

E vamos a eles agora:

1 – O primeiro fator causador de uma boa impressão, é sem dúvida alguma, encontrar uma boa gráfica. Se você é daqueles que faz seus impressos com “grafiquetas”, desorganizadas e mau equipadas, fique sabendo que as chances de sair um bom trabalho, são mínimas.

A menos que esta gráfica terceirize o trabalho com alguém competente, o que também é muito comum neste setor. O cara tem uma gráfica, um ponto bom, em alguns casos até nome, mas, não tem o maquinário.

Ele pega seu trabalho, envia para quem tem as máquinas, algumas das vezes para uma gráfica on line que, por sua vez pode não ter as máquinas também e re-envia seu trabalho para outra gráfica equipada.

Uma verdadeira peregrinação Off line para alcançar o seu dinheiro. Isso mesmo apenas para pôr a mão no seu dinheiro, preocupação com você, 3 (Três) em 10 (Dez) podem até se preocupar e querem até que você retorne, mas não é regra.

Muitas sabem que você não tem grandes opções e aproveitando-se disso. Sabem que você acabará voltando.

Também já ouvi esta frase: “Esquenta não, ele não tem a onde ir mesmo, vai voltar mês que vem”. Gravei muito bem isso pra não esquecer, até porque, também sou cliente de outros estabelecimentos e não gostaria de saber disso.

Atrasos e Prejuízos:

Estes pequenos detalhes podem gerar prejuízos e atrasos na sua vida, sem falar nos riscos de erros e devolução, que também são comuns com esta prática de prestação de serviços, quase que “quadri-terceirizando” a produção.

Além de você não contar com uma equipe de pessoas especializadas, você não terá o tratamento ou aporte merecido à sua posição de cliente, consumidos e pagante.

Digo isso porque já vi clientes indignados por que seu trabalho saiu com as cores erradas, no tempo errado e as vezes em tamanhos e papeis não contratados, e isso porque eu estou pegando leve para não “magoar” os gráficos que vestirão esta “carapuça”.

Quem não se comunica se... trumbica!

Falta de comunicação da parte da gráfica, de profissionalismo, competência para a função e por aí vai. Isso tudo poderia ser evitado se antes de enviar seu trabalho, você soubesse algumas informações sobre a empresa e sobre seu trabalho.

1-1. Se for uma gráfica próxima a você, peça para ver a estrutura da mesma, visite o site, veja fotos e principalmente, opiniões de outras pessoas (clientes). Pode ser também através de redes sociais ou mesmo perguntando na região para outras empresas que já trabalharam com eles.

1-2. Pergunte sobre a impressão, se será feita ali mesmo ou terceirizada, tipo de papel, etc...

1-3. Outros fatores como o tempo de entrega, garantias em casos de extravio ou erros, além é claro, da nota discriminatória de comprovação do serviço e número para rastreio, quando enviados pelos Correios.

1-4. Se você for um ativista do bem, procure saber também se a empresa é responsável por algum projeto social ou se está engajada em cuidados com o meio ambiente. Se é mesmo uma empresa responsável e se tem alguma certificação ISO.

2 – O segundo fator e não menos complexo, é da criação de modo geral. Onde criar ou com quem criar, criar você mesmo ou fazer um esboço, mesmo que no Papel ou no Corel e enviar o projeto a quem realmente entende da coisa?

Eu diria que, enviar o projeto a um artista renomado ou experiente é a melhor saída, mas, por outro lado, sei que não é bem assim. Se você está trabalhando com CorelDraw já a algum tempo e quer montar o seu modelo exclusivo de cartão de visita, nada impede que ao menos tente, e para isso claro, não é preciso ser um renomado artista ou Expert em criação de cartões.

Na verdade, para tudo na vida o que precisamos é de conhecimento, dicas, opiniões e muita leitura.

Já disse isso uma vez aqui mesmo no blog: O saber não nasce em nós, mas não pode e nem deve morrer conosco.

Agora então, ficou muito mais fácil aprender uma nova atividade ou apenas funções, com a internet e milhares de sites e pessoas dispostas a ensinar, passar a frente seus conhecimentos a perspectiva de aprendizado é muito diferente e promissora.

Então se é isso que deseja, saiba que está num destes lugares. Aqui nós disponibilizamos o melhor conteúdo possível e de forma gratuita, coisa que a alguns anos atrás seria inimaginável.

3 – A terceira dica é: Assista este vídeo, conheça os detalhes mais relevantes na criação de um bom cartão de visita. Se você já tem alguma prática com CorelDraw, irá entender de uma só vez, como e porque evitar ou converter determinados efeitos na sua arte antes do envio.


4 – A quarta dica: E a mais importante das dicas é:

Compartilhe este material com suas redes, envia para outras pessoas ao redor do planeta. Só assim vc estará fazendo por nós o maior dos favores. 
A intenção aqui sempre é de ajudar, compartilhando com outros, você passa a fazer parte dos que ajudam a construir um mundo melhor, mais competitivo e justo.

Um Forte abraço a todos e obrigado mais uma vez por tudo o que vocês já têm feito pelo Blog.
Não esqueça de curtir e seguir o nosso trabalho nas redes sociais.
Até a próxima dica.

Postado por

Elieser da Silveira ou Léo, para os íntimos é o idealizador, redator, editor e um dos pioneiros no Brasil no uso e divulgação do Aplicativo de Design Gráfico CorelDraw. Usuário apaixonado desde a versão 2.1, dedica grande parte de seu tempo em compartilhar seu conhecimento e arquivos gráficos, através deste espaço. Design Gráfico, arte finalista, marido, pai e compartilhador do saber!

2 comentários:

  1. estou começando a trabalhar criando cartões de visita mas não sei como encontrar clientes na internet, vi alguns sites de freelancer mas nenhum me pareceu bom pra isso, pode me indicar algum? por quanto posso cobrar pela arte do cartão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lorena, em relação a preços, isso depende muito do seu grau de conhecimento e técnicas. O tempo de mercado, e portfólio.

      Supondo que esteja no mercado a 5 anos, nesta atividade, sendo assim já possui um bom conhecimento sobre o assunto. Seu preço neste caso pode ser considerado de um profissional.

      Já no caso de estar começando agora, e pelo fato de ainda não ter muitos clientes ou nenhum. Deve cobrar um preço justo e equivalente a sua experiência!

      O Valor hora de um profissional de designer pode variar muito, mas no Brasil em média é algo ridículo.

      O ideal é somar seus gastos para exercer a função, dividir por dia e hora e na soma acrescentar 200%, no caso de iniciantes e 300% a 500% para profissionais mais avançados.

      Supomos que gaste por mês, entre aluguel, luz, internet, software, insumos e transporte um valor equivalente a R$ 1.200.00 mês.

      Teremos a seguinte soma: R$ 1.200.00 Dividido por 30 dias = 40.00 e dividido por 6 horas = R$ 6.66 Hora de gastos.

      Agora pegamos estes R$ 6.00 e a ele acrescentamos 200% ou 500%
      Que seria de R$ 13.32 / 19.98 ou 33.30 a hora trabalhada.

      Calcule quanto tempo fara gasto para fazer a arte e faça a soma final.

      Já sobre o site para expor seus trabalhos, pode ser um Blog, fan page, Flicker, ou qualquer outro que possa lhe oferecer espaço grátis para não ter mais esta despesa.

      O importante é a divulgação, eia este post aqui http://migre.me/jZFkM , quem sabe pode lhe dar mais uma luz.

      Fico grato pela participação.

      Excluir

Fique a vontade para Comentar:

Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

Leia as regras na Página Contato:
Aqui o espaço é meu, é seu, é nosso!!! Corel na Veia, sempre fazendo o melhor por você.

 

©Corel na Veia 15/10/2007/>2016 . All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top